Acompanhando as estreias da semana, vamos falar de Liga da Justiça!

O filme Liga da Justiça (Justice League) lançado em 2017 foi dirigido por Zack Snyder e pós-produzido por Joss Whedon, com roteiro de Chris Terrio e Joss Whedon.

Esse longa-metragem é a mais nova adaptação do universo cinematográfico Warner/DC.

Movido por sua fé restaurada na humanidade e inspirado pelo sacrifício do Superman, Bruce Wayne conta com a ajuda de sua nova aliada, Diana Prince, para enfrentar um inimigo ainda maior.

Juntos, Batman e Mulher-Maravilha trabalham rápido para encontrar e recrutar uma equipe de meta-humanos para se opor à nova ameaça. Mas apesar da formação dessa liga de heróis sem precedentes – Batman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Flash, e Ciborgue – pode ser tarde demais para salvar o planeta de um ataque de proporções catastróficas.

O filme conta com Ben Affleck, Henry Cavill, Gal Gadot, Ezra Miller, Jason Momoa, Ray Fisher, Amy Adams, Jeremy Irons, Diane Lane, Connie Nielsen, J.K. Simmons, Amber Heard e Joe Morton, em seu elenco.

Esse post demorou para sair porque era necessário assistir duas vezes o filme da Liga da Justiça porque a expectativa estava muito alta e visualmente o filme é empolgante e as muitas cenas de lutas deixam com certeza o expectador entusiasmado.

Então porque assistir uma 2ª vez? Porque quando você sai da sala de cinema após o filme da Liga se você é fã do unirverso DC você é pego pela empolgação e não julga o loga-metragem como um todo.

Então vamos falar sobre o filme e spoillers liberado!

Começando pela trindade!

Finalmente o Superman se importando com as pessoas, a Mulher-Maravilha se posicionando como líder, o Batman… É o Batman apesar de que como Bruce Wayne o Ben Afleck ainda tenha que desenvolver mais o personagem, como Batman esta muito bem.

A tensão e diferença de pensamentos entre a Mulher-Maravilha e o Batman foi bem explorada e o carisma da atriz Gal Gadot sempre presente em tela conseguem superar a falta do Superman que fica de fora de grande parte do filme.

Os novos membros Flash/Barry Allen interpretado por Ezra Miller, funcionou bem como alivio cômico, embora que se era para utilizar o personagem como alivio cômico faria mais sentido usar Wally West ao invés do Barry Allen, mas o Ezra Miller estava muito a vontade em tela, o que deixou o personagem interessante.

O Cyborgue interpretado por Ray Fisher teve muitas de suas cenas cortadas na pós-produção, cenas que estavam no trailer que mostrava parte de sua origem não foram pro corte final, mas apesar disso o personagem tem sua construção e desenvolvimento.

Já o Aquaman interpretado por Jason Momoa não foi tão aproveitado no filme, já que como o filme de origem ainda não foi lançado não ficou claro a relação do Aquaman com o povo de Atlantis.

As poucas cenas do filme parecia que o personagem ainda estava ressentido pelo abandono de sua mãe, mas já tinha conhecimento do poder do tridente e de como usa-lo.

Claramente é possivel identificar as diferenças de tons das parte dirigidas e produzidas por Zack Snyder e as que foram alteradas posteriormente pelo Josh Whedon, tanto nas sequencias de ação quanto no enredo.

Digo isso porque conheço os estilos de direção de ambos e acredito que apesar das circunstancias a entrada de Josh Whedon para o filme foi um ganho para o filme.

O inicio do filme marca bem essa diferença com a canção “Everybody Knows” embalando a apresentação de um mundo com mais violência e menos esperança após a morte do Superman em Batman vs Superman (2016).

As cenas de ação que tem o clássico efeito de câmera lenta, que é o estilo de Zack Snyder foi melhor utilizada nesse filme que em Batman vs Superman (2016), com exceção das cenas da Mulher-Maravilha em especifico onde ela corria, porque passava uma sensação de uma velocidade que poderia ate se comparar ao Flash.

Tendo dito isso, achei impressionante as cenas de lutas! A sequencia após o renascimento do Superman, onde ele enfrenta toda a liga é muito boa, piadas bem encaixadas e a referencia “Você sangra?” são os pontos que mais empolgam.

As cenas de batalhas da Amazonas traz a mesma empolgação e ritmo do filme da Mulher-Maravilha(2017).

A unica cena de batalha que não teve grande empolgação é a cena de luta em o Lobo da Estepe e o povo de Atlantis. os efeitos especiais são bons o recurso da bolha de ar para criar espaço para os diálogos ficou interessante, mas a luta é muito rápida, isso em minha opinião.

Sobre o vilão o Lobo da Estepe, é o tipico vilão básico que serve de grande ameaça para unir os heróis e nesse quesito ele cumpriu bem o seu papel. Na minha opinião ter usado mais maquiagem e efeitos práticos ao invés de CGI para criar o personagem teria ficado mais interessante visualmente.

O Lobo da Estepe foi utilizado nesse filme para introduzir o grande vilão que será Darkseid e reunir a liga.

O filme é recheado de referencias, tem o tema clássico do Batman e a Gotham criada para apresentar o Gordon interpretado por J.K. Simons parece que saiu dos quadrinhos, esta muito bem feita.

O filme tem duas cenas pós-créditos!

A 1ª cena pós-crédito também foi completamente tirada dos quadrinhos e a cena especial final é a promessa que poderemos ver a legião do Mal se formando no universo cinematográfico da DC.

Pessoalmente eu gostei bastante do filme, mas ele não foi tão grande e épico quanto a expectativa que o filme gerava, isso provavelmente sera refletido na bilheteria, mas ainda é um bom filme.

O filme Liga da Justiça é dica de hoje! Se já viram deixem suas impressões aqui no blog também.

Confiram o trailer em:

Liga da Justiça - Comentários
3.5Overall Score
Reader Rating: (5 Votes)
Translate »