Acompanhando as estreias da semana, a nova aposta “explosiva” de Michael Bay chegou as telonas e o Depois Da Sessão De Cinema, vai encarar mais esse novo membro da série de posts “Porque o filme… NÃO é RUIM!”.

Vamos lá falar de Transformers: O Último Cavaleiro!

O filme Transformers: O Último Cavaleiro (Transformers: The Last Knight) lançado em 2017 dirigido por Michael Bay, com roteiro de Art Marcum, Matt Holloway e Ken Nolan. Esse é o quinto filme da franquia, onde os acontecimentos do quarto filme Transformers: A Era da Extinção estão diretamente ligados a nova trama.

Os humanos estão em guerra com os Transformers, que precisam se esconder na medida do possível. Cade Yeager (Mark Wahlberg) é um de seus protetores, liderando um núcleo de resistência situado em um ferro-velho. É lá que conhece Izabella (Isabela Moner), uma garota de 15 anos que luta para proteger um pequeno robô defeituoso. Paralelamente, Optimus Prime viaja pelo universo rumo a Cybertron, seu planeta-natal, de forma a entender o porquê dele ter sido destruído. Só que, na Terra, Megatron se prepara para um novo retorno, mais uma vez disposto a tornar os Decepticons os novos soberanos do planeta.

O filme conta com Mark Wahlberg, Laura Haddock, Anthony Hopkins, Isabela Moner, Stanley Tucci, Josh Duhamel, Santiago Cabrera, Omar Sy, Peter Cullen, John Goodman, Ken Watanabe, Frank Welker, Jerrod Carmichael, Liam Garrigan, John Turturro e Gemma Chan, em seu elenco.

Vamos lá fazer um balanço geral não só do filme em particular, mas também da franquia, porque é inevitável a comparação com no mínimo o filme anterior.

Se no 4º filme Transformers: A Era da Extinção faltou uma boa explicação para os dinossauros Transformers, agora temos um roteiro que se preocupa em não só dar uma explicação como também criar uma mitologia em cima da vinda dos primeiros Transformers ao planeta Terra.

Nesse quesito o roteiro é bem sucedido, utilizar a grande lenda de Rei Arthur e a Segunda Guerra Mundial para trazer novas informações ao espectador foi muito interessante.

Da magia para a tecnologia dependendo da época a linha é muito tênue e souberam brincar com isso no filme, sem falar na representação mais estranha e engraçada do grande feiticeiro Merlim interpretado pelo Stanley Tucci.

Para os fãs da franquia que assim como eu sentiam falta de uma explicação do que aconteceu com o personagem do Shia Labeouf, essa resposta veio rápida e pode ter ate mesmo passado despercebida! Mas o que podemos afirmar ate o momento é que o personagem provavelmente ficou “louco”, ou melhor perdeu a sanidade, provavelmente devido suas interações com o cubo.

O filme de maneira geral entretém que é o principal objetivo dos filmes, tem bons efeitos especiais, esse com certeza é o carro chefe da franquia, mas faltou uma mão firme que controlasse o “mago das explosões” Michael Bay. Dessa vez o diretor incluiu diversas subtramas durante o desenvolvimento do filme que foram sendo esquecidas conforme a trama se desenrolava.

Faltou sim muitas explicações, como explicação de como Cybertron ficou destruída, qual era o objetivo dos criadores, porque os primeiros Transformers se voltaram contra os criadores, a utilidade da menina Izabella com “z” que mesmo sendo uma personagem interessante não teve desenvolvimento.

A quantidade de explosões dessa esta absurdamente exagerada, fica difícil ao espectador saber para onde olhar! As transições do IMAX para 3D e vice-versa são impressionantes e visualmente o filme tira o fôlego.

A trilha sonora, não me empolgou no geral dessa vez, mas é divertida a brincadeira do robo sociopata estar fazendo a trilha sonora ao vivo enquanto o personagem do Anthony Hopkins explica a mitologia por traz da história dos Transformers na terra. Os novos Decepticons que fazem parte do exercito de Megatron, os novos robôs como o Cogman, que eu já citei e os novos Transformers são as novidades trazidas nesse filme.

Esses novos personagens tem mais personalidade e são interessantes e divertidos em tela.

Sempre há rumores de um mais uma continuação, terá a spin-off do Bulblebee e o possivelmente a franquia tem planos de ir até Transformers 7, então eu espero que cada vez mais explorem a história dos Transformers, e que esse universo se expanda de forma que faça sentido.

A melhor forma ao meu ver de se continuar essa franquia é começar a explorar Cybertron e grande guerra que ouvimos falar nos filmes da franquia, mas nunca foi mostrada. E com isso trazer alguns personagens que já morreram nos filmes anteriores.

Para os fãs da franquia e os loucos por efeitos especiais, que estão esperando explosões e lutas entre robôs,  esse filme vai valer a pena!

Curiosidades rápidas:

  • A franquia Transformers já arrecadou mais de US$ 1 bilhão ao redor do mundo.
  • O rumor indica que esse é o ultimo filme da franquia Transformers dirigido por Michael Bay. Na minha opinião fator decisivo mesmo será a bilheteria arrecadada pelo filme.
  • O ator Liam Garrigan já interpretou o Rei Arthur na série de televisão Once Upon A Time.

Se já viram Transformers: O Último Cavaleiro deixem aqui no blog suas impressões.

Confiram o trailer sobre o filme aqui em baixo:

Porque o filme Transformers: O Último Cavaleiro NÃO é RUIM!
3.3Overall Score
Reader Rating: (5 Votes)
Translate »