Acompanhando as estreias da semana, vamos falar de Alien: Covenant!

O filme Alien: Covenant lançado em 2017 foi dirigido por Ridley Scott, com roteiro escrito por John Logan e D.W. Harper.

Esse longa-metragem é a sequência de Prometheus (2012).

Ambientado em 2104. Viajando pela galáxia, a nave colonizadora Covenant tem por objetivo chegar ao planeta Origae-6, bem distante da Terra. A nave sofre um acidente que obriga os tripulantes a despertar antes de sua chegada. Logo Oram (Billy Crudup) precisa assumir o posto de capitão, e em meio aos necessários consertos, eles descobrem que nas proximidades há um planeta desconhecido, que abrigaria as condições necessárias para abrigar vida humana. Oram e sua equipe decidem ir ao local para investigá-lo, considerando até mesmo a possibilidade de deixar de lado a viagem até Origae-6 e se estabelecer por lá. O planeta remoto com ares de paraíso inexplorado, faz a tripulação acreditar na sorte e ignorarem a realidade do local: uma terra sombria que guarda terríveis segredos e tem o sobrevivente David (Michael Fassbender) como habitante solitário.

Rapidamente eles descobrem que o planeta abriga seres mortais.

O filme conta com Michael Fassbender, Katherine Waterston, Billy Crudup, Danny McBride, Demian Bichir, Carmen Ejogo, Jussie Smollett, Callie Hernandez, Amy Seimetz, James Franco, Noomi Rapace e Guy Pearce, em seu elenco.

Assim como Prometheus (2012), Alien Covenant traz elementos da quadrilogia para compor seu universo e criar as criaturas monstruosas.

Contudo mesmo Prometheus (2012) que não foi tão bem recebido pelos fãs em seu lançamento, não cometeu o erro que Covenant cometeu… Alien: Covenant deixou que seu roteiro caísse na previsibilidade.

De fato “previsível” é uma palavra que poderia resumir muito bem o filme! O filme se apoia em diversas soluções fáceis e já conhecidas dentro de outros filmes do mesmo gênero. E por causa disso muito do desenvolvimento do personagem David interpretado pelo Fassbender, foi jogado fora.

O personagem deveria ter sido melhor explorado, assim como o resto da tripulação.

Os personagens ficaram muito rasos no geral, eu entendo que isso aconteceu porque o filme tem como objetivo apresentar a origem do Alien, e nesse quesito o filme é bem sucedido.

A trilha sonora teve pouco impacto em mim pessoalmente, mas foi essencial para criar a atmosfera de tensão e suspense necessária para o desenvolvimento do filme.

Sobre os efeitos especiais tem sequencias muito boas e cenas em que o CGI deixou a desejar, em minha opinião.

A tensão e o clima de sobrevivência quando a trama começa de fato se desenrolar, torna o segundo e terceiro ato muito mais movimentado que seu inicio.

Apesar de ter algumas respostas respondidas, novamente Alien: Covenant não atingiu as expectativas dos fãs mais fervorosos da franquia Alien, isso me baseando pela bilheteria arrecada até o momento, mas é um filme interessante de se ver no geral.

Curiosidades rápidas:

  • A Quadrilogia Alien teve 4 diferentes diretores: Alien, o Oitavo Passageiro (1979) com direção de Ridley Scott, Aliens, O Resgate (1986) com direção de James Cameron, Alien 3 (1992) com direção de David Fincher e Alien – A Ressurreição (1997) com direção de Jean-Pierre Jeunet.
  • Alien: Covenant (2017) é a sequencia direta de Prometheus (2012) que também foi dirigido por Ridley Scott.

Para continuar com o DNA “Alien” aqui no blog aguardem que logo mais teremos uma sessão especial do diretor Ridley Scott e um post para reunir comentários da Quadrilogia!

Se já viram deixem aqui no blog também o suas impressões sobre o filme Alien: Covenant.

Confiram o trailer aqui em baixo:

Alien: Covenant - Comentários
3.2Overall Score
Reader Rating: (5 Votes)
Translate »