Hoje vamos falar de duas comédias nacionais, Internet – O Filme e TOC: Transtornada Obsessiva Compulsiva!

Para rir um pouco e incentivar o cinema nacional, o Depois Da Sessão De Cinema foi conferir as produções brasileiras lançadas no cinema.

Vamos primeiro falar de Internet – O Filme.

Uma das maiores reuniões de youtubers fora do youtube!

O filme Internet – O Filme conta a direção de Filippo Capuzzi Lapietra e roteiro de Rafinha Bastos.

O filme conta a história de sobre a realização de uma convenção de youtubers em um hotel atrai influenciadores de todo tipo e, é claro, seus fãs. A estrela maior do evento é Uesley (Gusta Stockler), um arrogante youtuber que destrata todos à sua volta e apenas se importa com a própria popularidade. Ao publicar em seu canal o flagra do beijo entre Mateus (Felipe Castanhari) e Natalia (Pathy dos Reis), Uesley sem querer impulsiona a popularidade da dupla, que passa a conquistar fãs como casal e, consequentemente, ofuscá-lo. Paralelamente, três amigos fazem uma aposta para que Vepê (Teddy) seduza Barbarinha (Polly Marinho), em troca de uma passagem para Los Angeles, e duas amigas, Malu (Thaynara OG) e Fabi (Gabi Lopes), chegam ao hotel sem saber que o local será palco de uma convenção de youtubers. Há ainda Cesinha Passos (Rafinha Bastos), que precisa aprender a lidar com a má fama que possui ao mesmo tempo em que convive com Adalgamir (Paulinho Serra), um fã que passa a trabalhar com ele, e também Paulinho (Rafael Cellbit), especialista em Street Fighter que se fantasia como youtuber e agora sofre a ameaça de ser desmascarado.

Em seu elenco o filme conta com Gusta Stockler, Teddy, Rafinha Bastos, Felipe Castanhari, Pathy dos Reis, Cauê Moura, Julio Cocielo, Thaynara OG, Rafael Cellbit, Mr. Poladoful, Mauro Nakada, Gabi Lopes, Paulinho Serra, Polly Marinho, Victor Meyniel, Micheli Machado e Maurício Meirelles. Com participação especial de Mr. Catra, Raul Gil e Palmirinha.

Bem no estilo youtuber o filme é composto por 8 esquetes que se juntam para montar a trama do roteiro.

O filme prometia ser uma grande reunião onde os personagens entrariam em vários conflitos uma vez que todos eles estão em busca da fama.

Contudo o que foi entregue foi a junção de diversas sequencias de humor que desorganizadamente se junta no final, uma história mais linear, com começo, meio e fim teria aproveitado mais e melhor a quantidade de youtubers que fazem humor na internet, pelo menos em minha opinião.

Eu tinha expectativas devido ao conteúdo apresentado na CCXP 2016, mas mesmo com um elenco conhecido, o filme tem um roteiro fraco.

Eu acredito que o grande trunfo desse filme seja a espontaneidade e a irreverência dos youtubers, que como produtores de conteúdo de humor conseguiram dar espaço para cada um do elenco ter seu momento.

Das esquetes no geral, o que mais me chamou a atenção é a parte do sequestro (divertidíssima) e a ideia geral da convenção de youtubers.

O restante na minha opinião ficou mal estruturado ainda que tenha cenas que geram risadas!

Agora para completar a dobradinha vamos falar de TOC: Transtornada Obsessiva Compulsiva.

O filme TOC: Transtornada Obsessiva Compulsiva lançado em 2017 foi escrito e dirigido por Paulinho Caruso e Teo Poppovic.

O filme conta a história de Carmem Laura (Tatá Werneck) é uma jornalista que escreve blogs e livros. Palestrante e também apresentadora de televisão, seu principal assunto é o bem estar e o equilíbrio. Porém, após um acidente, o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) que Carmem tem desde criança volta à tona. Não conseguindo manter os sintomas sob controle como aprendeu na clínica especializada CASTTTOC, ela volta ao local para poder fazer seu novo programa de TV que será um reality Show do seu dia a dia. No local, ela reencontra uma paixão de infância que irá bater na porta da sua casa e do seu noivo Raoni.

Com elenco formado por Daniel Furlan, Tatá Werneck, Vera Holtz, Bruno Gagliasso, Fabio Marcoff, Ingrid Guimarães, Laura Neiva, Luis Lobianco e Patrícia Travassos.

De uma maneira leve e divertida o filme apresenta as dificuldades e limitações de pessoas que sofrem de Transtorno Obsessivo Compulsivo.

Apesar de ser um assunto serio, a representação nas telonas exigia um humor controlado para transmitir a mensagem para o expectador e nesse quesito o filme se saiu bem.

Sem exageros e com piadas comedidas, diferente do que normalmente é feito nas comédias brasileiras, o filme tem bons momentos engraçados e também conta com momentos de reflexão e momentos emocionais.

O roteiro não é bem estruturado porque desenvolve durante o filme o lado não glamoroso da fama, mas termina com um final feliz que quebra o ritmo do que vinha ser construído.

No geral ainda é um filme que da pra se assistir e que gera boas risadas!

*

As duas comédias geram boas risadas! Os dois filme são bem diferentes em sua forma de fazer humor, então fica a dica.

Translate »